Concurso professor substituto

23/06/2017 11:58

Na segunda, dia 26 de junho, inicia o período de inscrição para o processo seletivo destinado a selecionar professor substituto para o Jornalismo/UFSC, com uma (1) vaga para 40h/semanais. A área do concurso é comunicação e teoria da comunicação e o professor deverá atuar nas disciplinas História do jornalismo, Comunicação e Problemas Sociais Brasileiros. São requisitos a graduação em Jornalismo e mestrado nas áreas de:  Jornalismo; ou Ciências da comunicação; ou Educação; ou Engenharia e Gestão do Conhecimento; ou História. As inscrições podem ser feitas no Departamento de Jornalismo, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h30 até o dia 30 de junho.

Maiores informações :

http://prodegesp.ufsc.br/files/2017/06/Edital-Site-30.DDP_.PRODEGESP.2017-Departamentos.pdf

Ou nos telefones: 3721940/37219215/37219490

Expocom Sul premia sete trabalhos do Jornalismo/UFSC

21/06/2017 10:32

Entre os dias 15 e 17 de junho foi realizado na Universidade Caxias do Sul (UCS), no Rio Grande do Sul, o Congresso de Ciências da Comunicação da Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação) da Região Sul. Dentro da programação do evento ocorreu também a Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom), com a apresentação de trabalhos desenvolvidos por estudantes nos cursos da área e a premiação dos melhores projetos experimentais produzidos pelos alunos.

O curso de Jornalismo da UFSC participou com a apresentação de dez trabalhos que estiveram entre os cinco finalistas de cada categoria. Sete deles foram vencedores.

Os ganhadores foram:

O Zero Jornal, jornal laboratório produzido pelos estudantes em 2016 na disciplina venceu na categoria Jornal laboratório impresso. A aluna Tamy da Silva Dassoler representou as duas turmas do ano passado. Orientação: Frederico de Carvalho e Janara Nicolleti.

O TJ UFSC, telejornal diário produzido pelos estudantes de jornalismo venceu como melhor Produção laboratorial em videojornalismo e telejornalismo. Os alunos Joelson Cardoso e Vitor Sabbi representaram a equipe do programa no evento. Orientação: Antonio Brasil e Cárlida Emerim.

A reportagem multimídia Muito além da dor física, que trata sobre violência obstétrica ganhou como melhor Produção em Jornalismo digital. Monique Heloísa de Souza apresentou o trabalho desenvolvido ao lado de Ana Carolina Prieto, Ana Luísa Nascentes e Priscila Jansen. Orientação: Carlos Augusto Locatelli.

A reportagem Montado no trabalho escravode Daniel Silva Santos,sobre a experiência do repórter de ficar duas semanas sem usar produtos feitos com mão-de-obra irregular, venceu como melhor Reportagem em Jornalismo impresso. Orientação: Frederico de Carvalho e Janara Nicolleti.

A reportagem Assédio Moral – A doença laboral silenciosaapresentada por Ana Carolina Vaz e produzida com Gabriel Neves levou o prêmio na categoria Reportagem em Telejornalismo. Orientação: Cárlida Emerim. 

O trabalho desenvolvido pela estudante Maria Fernanda Salinet, O Profeta: Samuel Wainer e a história do jornal Última Hora, foi premiado como melhor Jornal Mural. Orientação: Ricardo Barreto.

O vídeo documentário 33 uma violência velada, onde mulheres que sofreram abuso ou assédio sexual relatam como se sentem em uma sociedade que acoberta a violência contra a mulher brasileira, apresentado por Suelen Regina Aguiar Rocha e produzido com Daniella Coriolano, venceu como melhor Produção Audiovisual para mídias digitais. Orientação: Antonio Brasil

Agora, os trabalhos vencedores serão apresentados no Intercom Nacional, que será realizado de 4 a 9 de setembro na Universidade Positivo, em Curitiba, e concorrerão com produções do Brasil todo na fase nacional da Expocom.

O site À deriva, de Michel Gomes, na categoria Blog; a programação esportiva da Rádio Ponto UFSC, representado por Fabio Tarnapolsky e Andrey Frasson, em Produção laboratorial em audiojornalismo e radiojornalismo; e a produção Por dentro da ocupação CCE/UFSC, de Ana Cristina Machado e Maria Fernanda Salinet, em Programa laboratorial de TV, foram os demais finalistas do Expocom Sul 2017.

Texto: Joelson Cardoso/estudante de Jornalismo/UFSC

Moção em defesa dos povos indígenas

16/05/2017 09:08

O Departamento de Jornalismo e Departamento de Lingua e Literatura Vernáculas e Curso de Letras juntam-se às organizações civis e às sociedades científicas do Brasil e exterior na defesa dos direitos dos povos originários brasileiros que vêm sendo constantemente ameaçados pelo atual governo.

Há meses o desmonte da Funai – Fundação Nacional do Índio – é denunciado por diferentes entidades e pela imprensa independente, com impacto direto na política indigenista estabelecida na Constituição Federal. O próprio ex-presidente do órgão, demitido em abril, denunciou que o Governo Temer age em defesa dos ruralistas. Em janeiro, o Ministério da Justiça publicou uma portaria que altera os parâmetros de demarcação de terras indígenas, ignorando qualquer diálogo com o Conselho Nacional de Política Indigenista – CNPI e com os povos indígenas, atendendo a interesses dos grandes latifundiários. Os conflitos por terras historicamente têm contribuído para dizimar a população indígena e o ataque violento contra o povo Gamela, no Maranhão, comprova a necessidade de políticas públicas que incluam tais povos e não os ameace ainda mais.

Diante do atual cenário, consideramos que não podemos nos calar, sobretudo porque fazemos parte de uma Universidade que formou sua primeira turma da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica (LII) em 2015, evento que entrou para a história da instituição, e adota políticas de ações afirmativas para os povos indígenas há anos, reafirmando a sua responsabilidade social e compromisso com a construção da cidadania, visando uma sociedade diversa e inclusiva, onde prevaleçam a igualdade de direitos e o respeito a todos os povos.

Assinam também:

Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PosJor)

Coordenação do Curso de Jornalismo

Centro Acadêmico Livre de Jornalismo (CALJ)

Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS)

Florianópolis,  maio de 2017.